26 jun Areia

 

Eu estou aqui. Não como a flor fincada na terra, mas, sim, como a areia que se move no fundo do mar…

Sou movimento em mim mesma. E sendo assim, te movo comigo.

Então, não se prenda. Se solte. Dance.

Relaxe e toque o fundo do mar. Aqui estou eu! Areia. Movo-me, mas sou chão. Chão de areia. Os grãos mudam, migram, mas sou areia no todo. E não se esqueça! Movo-me para onde o mar me leva. As ondas me movem e eu me deixo levar. E o vento leva as ondas para a areia exposta ao sol.

Um move o outro. Eu te movo.

Mesmo na minha mutação, encontras firmeza. Sim. Sou movimento e estrutura. A maravilha da estrutura maleável.

Me aceite e receba de mim o que posso te dar. Talvez seja pouco ou quase nada. Talvez seja muito mais que pudesse imaginar. Não mensure. Não conte. Receba.

Não especule, não espere. Sinta. Flua.

Aconteça o que for, a areia está no fundo do mar.

Nenhum comentário

Desculpe, o formulário de comentários não está disponível.